2017-03-03 - Portugueses voltam a ter uma perspetiva mais positiva da UE


Foi publicado o mais recente relatório sobre a opinião pública em Portugal relativamente à União Europeia, extraído do Eurobarómetro nº 86 (trabalhos de campo realizados entre os dias 5 e 14 de novembro de 2016). Embora persista algum pessimismo relativamente à situação da economia, confirma-se a tendência positiva na evolução do clima da opinião pública nacional.

Fri, 03/03/2017
Os portugueses continuam a ser dos europeus que mais acham que a situação económica e o desemprego são os problemas mais importantes do país, e as suas avaliações da economia portuguesa são maioritariamente negativas. Além disso, embora haja neste outono mais portugueses a avaliar a situação da economia como positiva (em comparação com os três outonos anteriores), a percentagem de otimistas é baixa.

Mas no que diz respeito à perceção das instituições, há claramente uma tendência de aumento nos níveis de confiança no governo e no parlamento em 2016, embora as proporções de cidadãos nacionais que afirmam confiar nestas instituições políticas estejam longe de ser maioritárias.

Portugal, que no outono de 2013 era o país europeu com os maiores níveis de insatisfação com o funcionamento da democracia em toda a União Europeia, apresenta agora níveis de satisfação superiores a 50 por cento e idênticos à média europeia.

No que diz respeito às atitudes em relação à Europa, o sentimento de cidadania europeia é prevalecente e a livre circulação de pessoas continua a ser o resultado mais positivo da integração europeia para a maior parte dos cidadãos nacionais.

As percentagens de portugueses que confiam na União Europeia e acham que a sua imagem é positiva rondam os 50 por cento, e a maioria dos portugueses rejeita a ideia de que o país poderia enfrentar melhor o futuro fora da União.

A principal diferença entre a opinião pública em Portugal e no conjunto da União Europeia diz respeito ao apoio à União Económica e Monetária (UEM) e ao Euro, mais frequente entre os portugueses (74 por cento) que entre os europeus como um todo (58 por cento). Já quanto à possibilidade de alargamento da União a outros países no futuro próximo não há diferenças assinaláveis, já que tanto em Portugal como no conjunto dos Estados-Membros tem o apoio de menos de 50 por cento dos inquiridos.

Já quanto ao futuro da União Europeia, Portugal está no quarto lugar no ranking dos países em que os cidadãos têm expectativas positivas sobre a evolução da economia no conjunto dos Estados-Membros: cerca de um quarto dos inquiridos.

Quanto a políticas específicas, os portugueses tendem a avaliar maioritariamente os objetivos da estratégia 2020 como adequados e quando tal não acontece há uma proporção significativa sem opinião (indústria, investigação ambiente) ou a considerar os objetivos europeus como excessivamente modestos (combate à pobreza).

Voltar
 
© 2013 - Oficina - Escola Profissional do Colégio das Caldinhas by gobox.pt
Financiado pela União Europeia