2017-09-11 - Aprendizagem no estrangeiro


A Comissão Europeia impulsiona colocações a longo prazo em toda a UE.


A Comissão Europeia está a pré-financiar sete projetos-piloto que oferecem estágios de aprendizagem profissional de longo prazo no estrangeiro.

O objetivo destes projetos consiste em testar colocações experimentais de pelo menos 6 meses, num esforço para promover uma aprendizagem no estrangeiro de mais longa duração.

Marianne Thyssen, Comissária responsável pelo Emprego, os Assuntos Sociais, as Competências e a Mobilidade dos Trabalhadores, comentou: «Os dados têm demonstrado que as experiências de mobilidade de longo prazo melhoram as competências sociais, profissionais específicas e linguísticas - muito mais do que as estadias de curta duração no estrangeiro. No entanto, contrariamente aos estudantes universitários que participam em programas com a duração de um ano como o Erasmus, os aprendentes do sistema do ensino e da formação profissionais tendem, na sua grande maioria, a ir para o estrangeiro por períodos relativamente curtos. É por esta razão que estamos a criar mais oportunidades de longo prazo, o que permitirá, em última análise, aumentar as suas oportunidades no mercado de trabalho. Com estes projetos-piloto e a nossa nova iniciativa ErasmusPro, esperamos criar até 50 000 oportunidades de mobilidade de longo prazo para os estudantes do EFP até 2020.»

Atualmente, já cerca de 650 000 aprendentes e diplomados do ensino e da formação profissionais (EFP)podem beneficiar do financiamento do programa Erasmus + para apoiar as suas experiências de mobilidade, no estrangeiro, por um período de 2 semanas a 12 meses. Contudo, não obstante as vantagens das colocações a longo prazo, menos de 1 % permanece no estrangeiro por um período superior a 6 meses. Os projetos-piloto lançados este ano irão, por conseguinte, oferecer a 238 aprendizes colocações noutro país da UE durante um período de 6 a 12 meses, com vista a identificar as boas práticas e os obstáculos relativamente à aprendizagem a longo prazo no estrangeiro. Estas 238 colocações vêm juntar-se aos 100 aprendizes atualmente implicados em projetos semelhantes financiados pela Comissão em 2016. Como parte do esforço global da Comissão para melhorar a mobilidade de longo prazo do ensino e da formação profissionais (EFP), em dezembro de 2016, a Comissão propôs igualmente uma iniciativa ErasmusPro, que estará operacional em 2018 e que permitirá que mais 50 000 jovens permaneçam entre 3 e 12 meses noutro Estado-Membro.

Tanto os projetos-piloto como o ErasmusPro constituem os primeiros passos rumo a um quadro europeu para a mobilidade de longo prazo dos aprendizes. Tal proporcionará aos Estados-Membros orientações concretas para proporcionar aos jovens a oportunidade de desenvolverem as suas competências e reforçarem a sua empregabilidade, reforçando, simultaneamente, o seu sentimento de cidadania europeia através da experiência noutro país da UE.
Mais informações em:https://ec.europa.eu/portugal/apprenticeships_abroad_pt

Voltar
 
© 2013 - Oficina - Escola Profissional do Colégio das Caldinhas by gobox.pt
Financiado pela União Europeia